Super Pedido

Formulário de login do usuário
campo de busca de produtos

Crônicas Para Ler na Escola

Crônicas Para Ler na Escola
Ampliar Capa
Autor:
Carlos Heitor Cony (veja mais livros deste autor)
Editora:
OBJETIVA - GRUPO CIA DAS LETRAS (veja mais livros desta editora)

Preço de capa R$ 39,90

Situação do produto: Disponível 27 item(ns) em estoque. incluir no pedido
Prazo de postagem: 2 dias

informações técnicas

ISBN:
9788573029581
Dimensão:
0,0 x 15,0 x 23,0
(A x L x P)

sinopse

Um estojo escolar, um buraco no chão, uma calculadora. Para a maioria das pessoas não há nenhum mistério nos objetos cotidianos. Já para Carlos Heitor Cony, um dos escritores mais importantes do Brasil, eles são portas que nos levam para outra dimensão, onde tudo é mais do que parece. Valendo-se de um texto simples e elegante e de uma mente inquieta, ele nos transporta para lá com facilidade. Cony consegue essa proeza porque no fundo, continua sendo o menino curioso que passou a infância observando o mundo com um misto de fascínio e medo. Em um dos textos reunidos neste livro, Carlos Heitor Cony fala, com humor, das maravilhas que o homem ainda não inventou. Ele diz que um de seus amigos tem certeza de que, no futuro, poderemos viajar para o exterior sem a ajuda de aviões. "Aproveitando a rotação do nosso planeta, uma almanjarra qualquer que ainda será criada nos levará a uma certa altura, e lá de cima esperaremos que a Terra gire até o ponto onde queremos saltar. Posso sair daqui da Lagoa ao meio-dia e meia e almoçar na Groenlândia à uma da tarde, sem esforço, sem apertões e por baixo custo. O problema é que - Deus é testemunha - não tenho nenhum interesse em almoçar ou jantar na Groenlândia." É desse jeito, combinando inteligência, um olhar atento e um texto ao mesmo tempo ri-co e coloquial, que o escritor examina o futuro e o passado nas suas crônicas. Os temas dos seus textos vão do Google ao ciúme entre irmãos, do rock à fascinação de uma menina pelas conchas do mar. São assuntos variados, sobre os quais Cony se debruça com sensibilidade e inquietude, dois ingredientes sem os quais não se faz um grande autor. Se os cientistas querem descobrir um jeito de nos transportar de um lugar para outro sem grande esforço, talvez devessem consultar Carlos Heitor Cony. Pois é exatamente isso o que ele faz com seus textos. Com a vantagem de que o de tino final não será a Groenlândia, e sim uma dimensão repleta de poesia e curiosidade.